Espiral construtivista em cursos de graduação em educação física: ensinando sobre o Sistema Único de Saúde

  • Braulio Nogueira de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-3457-2854
  • José Geraldo Soares Damico Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6111-1762
  • Alex Branco Fraga Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6881-1446
Palavras-chave: Currículo, Aprendizagem baseada em problemas, Sistema Único de Saúde, Recursos humanos, Prática profissional

Resumo

O objetivo deste artigo foi descrever uma experiência curricular fundamentada no referencial da espiral construtivista em uma disciplina do curso de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS). Em quatro encontros, cada um com quatro horas-aula, em duas turmas, práticas corporais e atividades físicas (PCAFs) em interface com o SUS foram tematizadas através da elaboração e do atendimento de casos-problemas. Inspirados em situações do cotidiano de trabalho, equipes formadas pelos estudantes delimitaram e estudaram objetivos de aprendizagem a partir de necessidades emergentes. Procedimentos como a organização em rede, as tecnologias de apoio matricial, projeto terapêutico singular, uso de prontuário, genograma, ecomapa, entre outros, delimitaram o foco do trabalho de contextualização do uso das PCAF nos casos-problemas. Considerando a avaliação realizada, conclui-se que a proposta potencializou a aprendizagem dos estudantes a respeito dos saberes e práticas relativos ao SUS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Santos DF. Educação Física no Hospital Psiquiátrico São Pedro: uma experiência de familiarização e estranhamento nas entrelinhas dos relatos de estágio. [dissertação de mestrado]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2016.
2. Ministério da Saúde. Portaria no 154 de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família-NASF. In: Diário Oficial da União [online], 2008. [citado 2018 mai 18]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ saudelegis/gm/2008/prt0154_24_01_2008.html 

3. Fraga AB, Carvalho YMD, Gomes IM. Políticas de formação em educação física e saúde coletiva. Trab Educ Saúde (Online). 2012;10(3):367-86. 

4. Loch MR. Abordando Saúde Coletiva no curso de bacharelado em Educação Física: Relato de experiência. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2016;21(3):285-90. 

5. Silva J, Andrade M, Brito A, Hardman C, Oliveira E, Barros M. Atividade física e saúde mental: uma experiência na formação inicial em Educação Física. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2014;19(1):133-40. 

6. Manske GS, Oliveira D. A formação do profissional de Educação Física e o Sistema Único de Saúde. Motriv. 2017; 29(52):191-210. 

7. Batista SHSS, Jansen B, Assis EQ, Senna MIB, Cury GC. Formação em Saúde: reflexões a partir dos Programas Pró- Saúde e PET-Saúde. Interface (Botucatu). 2015;19(Suppl 1):743-52. 

8. Comgrad. Comissão de Graduação. Projeto pedagógico do curso bacharelado em Educação Física. Plano Pedagógico do Curso de Educação Física - Habilitação Bacharelado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2017. [citado 2018 mai 18]. Disponível em: https://www.ufrgs.br/ese d/ Arquivos/COMGRAD_EFI/ppc_bacharelado.pdf 

9. Lima VV. Espiral construtivista: uma metodologia ativa de ensino-aprendizagem. Interface (Botucatu). 2017;21(61):421-34. 

10. Lima VV. Learning issues raised by students during PBL tutorials compared to curriculum objectives [dissertation]. Chicago: University of Illinois at Chicago; 2001. 

11. Macedo KDS, Acosta BS, Silva EB, Souza NS, Beck CLC, Silva KKD. Metodologias ativas de aprendizagem: caminhos possíveis para inovação no ensino em saúde. Esc Anna Nery. 2018;22(3):e20170435. 

12. Meneses LBA, Leie VS, Pereira AJ, Rocha RCS, Fernandes MCV. Vivendo a formação de preceptores e tutores: uma experiência refletida. In: Ceccim RB, Meneses LBA, Soares VL, Pereira AJ, Meneses JR, Rocha RCS et al. (eds). Formação de Formadores para Residências em Saúde: corpo docente-assistencial em experiência viva. Porto Alegre: Rede UNIDA; 2018. p. 61-74. 

13. Camargo FC, Garcia LAA, Walsh IAP, Emílio MM, Coelho VHM, Pereira GA. Formação para o trabalho na estratégia saúde da família: experiência da residência multiprofissional em saúde. Rev Enferm Atenção à Saúde. 2018;7(1):190-99. 

14. Lima VV, Feuerwerker LCM, Padilha RQ, Gomes R, Hortale VA. Ativadores de processos de mudança: uma proposta orientada à transformação das práticas educacionais e da formação de profissionais de saúde. Cienc Saúde Colet. 2015;20(1):279-88. 

Publicado
08-11-2018
Seção
Experiências Curriculares Inovadoras em Atividade Física e Saúde