Home intervention model to promote physical activity in female older adults

Palavras-chave: Estudos de intervenção, atividade física

Resumo

O objetivo do estudo foi descrever o modelo lógico de uma intervenção domiciliar utilizando estratégia motivacional para melhora dos componentes de aptidão física em mulheres. Foi realizado um estudo quase-experimental, com 91 idosas, entre 61 e 80 anos, divididas em grupo intervenção (GI) e controle (GC). As idosas responderam um questionário com informações sociodemográficas, estágio de mudança de comportamento, atividade física e realizaram testes de desempenho físico, antes e após 12 semanas de intervenção. A intervenção foi realizada com o uso do guia domiciliar de exercícios físicos associado a estratégias motivacionais (ligações telefônicas e visitas domiciliares). A intervenção com interação reduzida foi planejada para ter um baixo custo financeiro, tanto em relação ao espaço físico quanto aos materiais necessários à prática do exercício físico domiciliar, viabilizando a aplicabilidade em diferentes locais. O modelo lógico fornece uma visão da intervenção e das fases de planejamento, implementação e avaliação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Cipriani NCS, Meurer ST, Benedetti TRB, Lopes MA. Functional fitness of physically active female older adults. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2010;12(2):106–11.

Campos ACV, Almeida MHM, Campos GV, Bogutchi TF. Prevalence of funtional incapacity by gender in Brazilian older adults: a systematic review with metanalysis. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016;19(3):545–59.

Moraes SA, Lopes DA, Freitas ICM. Avaliação do efeito independente de doenças crônicas, fatores sociodemográficos e comportamentais sobre a incapacidade funcional em idosos residentes em Ribeirão Preto, SP, 2007 - Projeto EPIDCV. Rev Bras Epidemiol. 2015;18(4):757-70.

Den Ouden ME, Schuurmans MJ, Arts IE, Van der Schouw YT. Physical performance characteristics related to disability in older persons: a systematic review. Maturitas. 2011;69(3):208–19.

Vagetti GC, Barbosa Filho VC, Moreira NB, Oliveira VD, Mazzardo O, Campos WD. Association between physical activity and quality of life in the elderly: a systematic review, 2000-2012. Rev Bras Psiquiatr. 2014;36(1):76–88.

MacMillan F, Fitzsimons C, Black K, Granat MH, Grant MP, Grealy M, et al. West End Walkers 65+: a randomised controlled trial of a primary care-based walking intervention for older adults: study rationale and design. BMC Public Health. 2011;11(1):1-12.

Glanz K. Teoria num Relance. Um Guia para Prática da Promoção da Saúde. In: Sardinha L, Matos M, Loureiro I, editors. Promoção da Saúde: Modelos e Práticas de Intervenção nos Âmbitos da Actividade Física, Nutrição e Tabagismo. Lisboa: Faculdade de Motricidade Humana; 1999. p. 10–54.

Burke L, Lee AH, Jancey J, Xiang L, Kerr DA, Howat PA, et al. Physical activity and nutrition behavioural outcomes of a home-based intervention program for seniors: a randomized controlled trial. Int J Behav Nutr Phys Act. 2013;10(1):14.

Jancey JM, Lee AH, Howat PA, Burke L, Leong CC, Shilton T. The effectiveness of a walking booster program for seniors. Am J Health Promot. 2011;25(6):363–67.

Costa EF, Andrade DR, Garcia LMT, Ribeiro EHC, Santos TI, Florindo AA. Avaliação da efetividade da promoção da atividade física por agentes comunitários de saúde em visitas domiciliares. Cad Saude Publica. 2015;31(10):2185-98.

Almeida GM, Silva DMF. Efetividade de uma intervenção de atividade física em adultos atendidos pela estratégia saúde da família: Programa Ação e Saúde Floripa BRASIL. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2012;13(1):44–56.

Müller AM, Khoo S. Non-face-to-face physical activity interventions in older adults: a systematic review. Int J Behav Nutr Phys Act. 2014;11(1):35.

Mazo GZ, Benedetti TRB. Adaptação do questionário internacional de atividade física para idosos. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2010;12(6):480-4.

Dumith SDC, Domingues MR, Gigante DP. Estágios de mudança de comportamento para a prática de atividade física: uma revisão da literatura. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2008;10(3):301-07.

Nigg CR, Geller KS, Motl RW, Horwath CC, Wertin KK, Dishman RK. A Research Agenda to Examine the Efficacy and Relevance of the Transtheoretical Model for Physical Activity Behavior. Psychol Sport Exerc. 2011;12(1):7–12.

Rikli RE, Jones CJ. Functional fitness normative scores for community residing older adults, ages 60-94. J Aging Phys Act. 1999;(7):162-81.

Health USD, Services H. Physical activity and health: a report of the Surgeon General. diane Publishing; 2002.

Parahyba M, Veras R, Melzer D. Incapacidade funcional entre as mulheres idosas no Brasil. Rev Saúde Pública. 2005;39(3):383–91.

Publicado
18-02-2019
Seção
Do Diagnóstico à Ação: Experiências em Promoção de Atividade Física e Saúde