Apontamentos para a atuação do Profissional de Educação Física na Atenção Básica à Saúde: um ensaio

Palavras-chave: Sistema Único de Saúde, Atenção primária à saúde, Prática profissional, Estratégia Saúde da Família, Recursos humanos

Resumo

O objetivo deste ensaio foi apresentar uma proposta de síntese para a atuação do profissional de Educação Física (PEF) no contexto da Atenção Básica à Saúde (ABS) do Brasil. São apresentadas 15 itens, elaborados a partir de experiências vivenciadas no campo de atuação pelos autores, bem como na literatura. Posteriormente, a clareza e pertinência dos itens foram avaliadas por 33 PEF de nove diferentes municípios brasileiros que atuavam ou tinham atuado anteriormente na ABS. Apesar de os itens apresentados não terem o objetivo de competir ou substituir as diretrizes do Ministério da Saúde ou das secretarias estaduais ou municipais, espera-se que possam ser úteis para os PEF que atuam na ABS, bem como para a formação dos PEF que pretendem atuar neste contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mathias Roberto Loch, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual de Londrina, Paraná, Brasil.

Possui licenciatura plena em Educação Física (2003) e mestrado em Educação Física (2006) pela Universidade Federal de Santa Catarina. É Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Londrina (2013), tendo realizado estágio de doutoramento no Departamento de Medicina Preventiva y Salud Pública da Universidad Autónoma de Madrid. É professor do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Londrina, onde exerceu o cargo de coordenador do curso de Educação Física - bacharelado (2008-2009). Tem experiência nas áreas de Educação Física e Saúde Coletiva. É sócio fundador da Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde (foi vice-presidente na gestão 2013-2015 e Diretor Científico na gestão 2016-2017) e da Associação Brasileira de ensino da Educação Física para a Saúde (Abenefs, onde já foi primeiro secretário, fez parte do Conselho de Ética e foi representante na Câmara Técnica Atenção Básica, Saúde da Família e Comunidade, Saúde Coletiva da Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde). Atualmente atua no curso de bacharelado em Educação Física (disciplina: Educação Física e Saúde Pública), licenciatura em Educação Física (disciplina: Saúde, Sociedade e Educação Física) na residência multiprofissional em Saúde da Família e é professor permanente do Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva, da Universidade Estadual de Londrina.

Referências

Santos S, Benedetti TRB. Cenário de implantação do Núcleo de Apoio a Saúde da Família e a inserção do profissional de Educação Física. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2013;17(3):188-94.

Rodrigues JD, Ferreira D, Silva P, Caminha I, de Farias Junior JC. Inserção e atuação do profissional de educação física na atenção básica à saúde: revisão sistemática. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2013;18(1):05-15.

Loch MR, Knuth AG, Silva ICM, Guerra PH. As práticas corporais/atividade física nos 30 anos do Sistema Único de Saúde. Ciênc Saúde Colet. 2018; 23(10):3469.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica n. 27 - Diretrizes do NASF – Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Brasília; 2009. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_basica_diretrizes_nasf.pdf

Paim J. O que é o SUS. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; 2009.

Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. The Brazilian health system: history, advances, and challenges. Lancet. 2011;377(9779):1778-97.

Reis RS, Salvo D, Ogilvie D, Lambert EV, Goenka S, Brownson RC. Scaling up physical activity interventions worldwide: stepping up to larger and smarter approaches to get people moving. Lancet. 2016;388(10051):1337–48.

Campos GWS, Domitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad Saúde Pública. 2007;23(2):399-407.

Barros JO, Gonçalves RMA, Kaltner RP, Lancman S. Estratégia do apoio matricial: a experiência de duas equipes do Núcleo de a poio à saúde da família (NASF) da cidade de São Paulo, Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2015;20(9):2847-56.

Bauman AE, Reis RS, Sallis JF, Wells JC, Loos RJ, Martin BW, et al. Correlates of physical activity: why are some people physically active and others not? Lancet. 2012;380(9838):258-71.

Souza SC, Loch MR. Intervenção do profissional de Educação Física nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família em municípios do norte do Paraná. Rev Bras Ativ Fís e Saúde. 2011;16(1):5-10.

Loch MR, Rodrigues CG, Teixeira DC. E os homens? E os que moram longe? E os mais jovens?...? Perfil dos usuários de programas de atividade física oferecidos pelas Unidades Básicas de Saúde de Londrina-PR. Rev Bras Ciêc Esporte. 2013;35(4):947-61.

Publicado
12-08-2019
Seção
Ensaios Teóricos em Atividade Física e Saúde