Comportamento de checagem corporal e treinamento com pesos: uma investigação com mulheres

  • Leonardo Fortes Universidade Federal de Pernambuco
  • Maria Ferreira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Jeferson Vianna Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Liliane Aranda Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Santiago Paes Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Edilson Cyrino Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Imagem corporal, Exercício, Treinamento de resistência

Resumo

O objetivo do estudo foi investigar os efeitos agudos do treinamento com pesos sobre a checagem corporal de mulheres experientes em treinamento com pesos. Participaram 100 voluntárias com idade entre 18 e 30 anos, divididas aleatoriamente em grupo treinamento (GT) e controle (GC). A força muscular foi determinada por meio do teste de 4-10 repetições (RMs). Os comportamentos de checagem corporal foram avaliados pelo Body Checking and Avoidance Questionnaire (BCAQ). A sessão de treinamento com pesos foi constituída por exercícios multiarticulares e monoarticulares. As participantes foram avaliadas logo após (30 minutos), 24, 48 e 72 horas após a sessão de treinamento com pesos. Salienta-se que somente o GT realizou a sessão de treinamento com pesos. Em razão da não violação paramétrica, conduziu-se a Anova two-way de medidas repetidas para comparar os escores do BCAQ em função momento da pesquisa e do grupo (GT x GC). A Anova two-way de medidas repetidas demonstrou diferenças significativas nos escores do BCAQ entre GT e GC após (30 minutos e 24 horas) a realização da sessão de treinamento (F(2, 98)=27,71; p=0,001). Concluiu-se que uma única sessão de treinamento com pesos foi capaz de reduzir em até 24h a frequência dos comportamentos de checagem corporal de adultos do sexo feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Fortes, Universidade Federal de Pernambuco
Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Mestre em Educação Física na Universidade Federal de Juiz de Fora. Doutorando em Psicologia na Universidade Federal de Juiz de Fora. Atualmente é Professor Assistente do Núcleo de Educação Física e Ciências do Esporte da Universidade Federal de Pernambuco - Centro Acadêmico de Vitória. Líder do Grupo de Pesquisa "Psicologia Aplicada ao Esporte e Exercício" (CAV/UFPE). Consultor científico e membro associado da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). Revisor de periódicos científicos nacionais e internacionais. Membro do corpo editorial da Current Psychopharmacology. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Ciência da Motricidade Humana e Aspectos Socioculturais do Movimento Humano atuando principalmente nos seguintes temas: maturação biológica, comportamento alimentar, imagem corporal, treinamento resistido, treinamento esportivo e psicologia do esporte. Ademais, tem experiência na área de Psicologia, atuando nos seguintes temas: Psicopatologia e Psicometria
Maria Ferreira, Universidade Federal de Juiz de Fora
Licenciada em EDUCAÇÃO FISICA pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1993) e Bacharel em SERVIÇO SOCIAL pela Faculdade de Serviço Social do Rio de Janeiro (1977).Especialista em Docência Universitária pela Universidade Castelo Branco (1995). Mestrado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (1998), e Mestrado em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco (1996). Doutorado (2006) e Pós-doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é professora adjunta na Faculdade de Educação Física e Desportos (FAEFID) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Líder do Grupo de Pesquisa Corpo e Diversidade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Orientadora Plena nos programas de Pós-Graduação Associado em Educação Física UFV-UFJF e em Psicologia ICH-UFJF. Tem experiência na área de Educação Física (Movimento Humano), com ênfase em Estudos do Corpo, atuando principalmente nos seguintes temas: imagem corporal, prevalência de (in)satisfação corporal em adolescentes, jovens e adultos atletas e não atletas, obesidade e envelhecimento. Bolsista de Produtividade em Pesquisa- CNPq
Jeferson Vianna, Universidade Federal de Juiz de Fora
Possui graduação em Licenciatura Em Educação Física e Desportos pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1983), mestrado em Ciências do Esporte pela Universidade Federal de Minas Gerais (1998) e doutorado em Ciência do Desporto pela Universidade de Trás-os- Montes e Alto Douro (2010). Atualmente é prof. Adjunto IV da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em treinamento desportivo, artes marciais e personal training, atuando principalmente nos seguintes temas: rendimento esportivo, atividade fisica, treinamento de força, avaliação funcional, ginastica de academia e fisiologia do exercício. Membro da Academia Brasileira de Treinadores - COB.
Liliane Aranda, Universidade Federal de Juiz de Fora
Graduada em Bacharelado e Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2010). Especialista em Ciência do Treinamento Desportivo (UFJF). Mestranda pela Faculdade de Educação Física e Desportos - UFJF. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Aspectos Biodinâmicos do Movimento Humano, atuando principalmente nos seguintes temas: voleibol, natação, avaliação morfofuncional, treinamento resistido e treinamento desportivo.
Santiago Paes, Universidade Federal de Juiz de Fora
Possui graduação plena em educação física pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2010), Especialização tanto em Atividade física na saúde e reabilitação cardíaca(2011) quanto em Ciências do treinamento desportivo (2013) ambos pela UFJF. Mestre em educação física pelo programa de pós graduação stricu sensu UFV/UFJF (2013) (Aréa de concentração: Saúde e Movimento Humano); atualmente é graduando em Nutrição pela UFJF (2014). Atua em linhas de pesquisa voltada a Imagem Corporal; Nutrição e Exercício Físico; Obesidade; Síndrome Metabólica; Doença Renal Crônica e também aos seguintes temas: Esportes; Inclusão e Deficiência.
Edilson Cyrino, Universidade Estadual de Londrina
Edilson Serpeloni Cyrino concluiu o Doutorado em Educação Física na Universidade de São Paulo em 2002, o Pós-doutorado em Composição Corporal Humana na Universidade Técnica de Lisboa em 2008 e o Estágio Sênior no Exterior na Universidade de Coimbra em 2013. Atualmente é Professor Associado B da Universidade Estadual de Londrina, Coordenador do Programa de Pós-graduação Associado em Educação Física - UEM/UEL, Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1D e líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Metabolismo, Nutrição e Exercício (GEPEMENE). É revisor do International Journal of Sports Medicine, Journal of Obesity, Cadernos de Saúde Pública (FIOCRUZ), da Revista Brasileira de Medicina do Esporte, da Motriz: Revista de Educação Física (Online), da Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, da Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, do Arquivos de Medicina, Revista da Educação Física/UEM, da Revista de Nutrição, da Alimentos e Nutrição (UNESP), da Revista Brasileira de Ciência e Movimento, da Revista de Ciências Médicas e da Revista da Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Publicou 137 artigos completos em periódicos nacionais e internacionais e 14 capítulos de livro. Realizou uma supervisão de pós-doutorado e orientou três teses de doutorado, 12 dissertações de mestrado, 35 trabalhos de iniciação científica, 25 monografias de especialização e 61 trabalhos de conclusão de curso de graduação nas áreas de Educação Física, Saúde Pública e Nutrição. Recebeu 12 prêmios e/ou homenagens. Desde 1998 participou de 29 projetos de pesquisa, na função de coordenador em 18 destes. Atualmente coordena três projetos de pesquisa financiados por agências de fomento brasileiras. Atua na área de Educação Física. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: desempenho motor, composição corporal, treinamento com pesos, antropometria e testes motores
Publicado
01-02-2015
Seção
Artigos Originais