Social control: knowledge and attitude of professionals in the Academia da Cidade Program

Autores

  • Cícero Adriano Melo Figueirêdo Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil. Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-5929-1314
  • Bruno César Rodrigues da Silva Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil. Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6785-2983
  • Amanda Emmanuelly de Melo Tavares Albuquerque Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil. Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4316-9570
  • Mateus Gustavo Brainer Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil. Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0539-390X
  • Sulamita Emy Tavares de Oliveira Mendonça Soares Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil. Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2540-1284
  • Emmanuelly Correia de Lemos Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil. Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco. Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1450-6160

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.25e0181

Palavras-chave:

Social control, Social participation, Health promotion, Motor activity, Primary health care

Resumo

O objetivo deste estudo foi descrever o conhecimento e a atitude dos profissionais do Programa Academia da Cidade (PAC) com relação ao controle social. Foi realizado um estudo transversal, descritivo e de abordagem quantitativa e qualitativa, utilizando um questionário autoaplicado. A tabulação dos dados foi efetuada no programa EpiData Entry v. 3.1. Para análise dos dados quantitativos foi utilizado software SPSS versão 10.0, resultados apresentados em frequências relativas e absolutas. Para análise qualitativa, utilizou-se a Análise de Conteúdo proposta por Bardin. Participaram 104 profissionais, que compreendem o controle social com “Participação dos usuários, trabalhadores e gestores no planejamento, formulação, avaliação e fiscalização das ações, planos, projetos e programas na saúde”. A maioria (61,5%) participou de conferência de saúde, consideraram essa participação como muito importante (62,5%). Estimulavam (81,7%) os usuários a participarem de espaços de controle social, bem como, valorizavam e refletiam (93,3%) sobre as demandas indicadas por eles. No entanto, mais de 90,0% não participavam de conselhos de saúde e de reuniões territoriais. Com isso, verificou-se que a maioria dos profissionais do PAC conhecem o controle social de acordo com o referencial teórico do Sistema Único de Saúde. Quanto a atitude, participaram de conferência, incentivavam os usuários a serem participativos e valorizam as reivindicações por eles trazidos na rotina do trabalho no Programa. Contudo, não participavam dos conselhos de saúde e dos espaços de controle social dentro do território de atuação. Sugere-se que os achados desse estudo sejam alvo de ações educativas e formativas no âmbito municipal e estadual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno César Rodrigues da Silva, Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil. Universidade de Pernambuco, Escola Superior de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil.

 

 

Referências

Lemos EC, Gouveia GC, Luna CF. Programa Academia da Cidade: a experiência do Recife. In: Gurgel IGD, Medeiros KR, Aragão AV, Santana RM (eds). Gestão em Saúde Pública: Contribuições para a Política. Recife: Editora UFPE; 2014.p. 139-53.

Brasil. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Política nacional de promoção da saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. [citado em 2020 abr 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_promocao_saude.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS: Anexo I da Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017, que consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS/ Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. [citado em 2020 abr 15]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude.pdf.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. [citado em 2020 abr 12]. Disponível em: https://www.bmn.com.br/plan-leg/ma/fed/cf/cf-88.pdf.

Brasil. Casa Civil/Presidência da República. Lei n.º 8.142, 28 de dezembro de 1990. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 31 dez 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde – SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. [citado em 2020 abr 12]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8142.htm.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde, Ministério da Saúde. Para entender o controle social na saúde. Brasília: Editora MS; 2014. [citado em 2020 abr 10]. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/biblioteca/livros/Manual_Para_Entender_Controle_Social.pdf.

Oliveira AMC, Ianni AMZ, Dallari SG. Controle social no SUS: discurso, ação e reação. Ciênc Saú Colet. 2013;18(8):2338-9.

Centro de Educação e Assessoramento Popular. Conselho Nacional de Saúde. O SUS e a efetivação do direito humano à saúde. Organização Pan Americana da Saúde. Passo Fundo: Editora do IFIBE; 2017. [citado em 2020 abr 10]. Disponível em: https://rest.formacontrolesocial.org.br/materials/cartilha-ceap.pdf

Santos BS. Quinze teses para aprofundar a democracia. Brasília: UnB, 2008.

Souza MF, Souza Junior FV. Controle social: um estudo acerca do conselho municipal de saúde de Apodi. Rev Fides. 2019;10(1):214-28.

Loch MR. A educação física e a 15ª conferência nacional de saúde. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2015;20(1):1-2.

Prefeitura da Cidade do Recife. Plano Municipal de Saúde 2006-2009. Recife saudável: inclusão social e qualidade no SUS. Recife, 2005. [citado em 2020 abr 9]. Disponível em: http://www.recife.pe.gov.br/noticias/arquivos/227.pdf.

Prefeitura da cidade do Recife, Governo Municipal, Secretaria de Saúde do Recife, Secretaria Executiva de Coordenação Geral, Diretoria Executiva de Planejamento, Orçamento e Gestão da Informação. Plano Municipal de Saúde 2018 – 2021. Recife, 1ª. Ed, 2018. [citado em 2020 abr 9]. Disponível em: http://www2.recife.pe.gov.br/sites/default/files/plano_municipal_de_saude_2018_2021_vf.pdf.

Bardin L. Análise de Conteúdo. 3a ed. Lisboa: Edições 70, 2011.

Costa AM; Vieira NA. Participação e controle social em saúde. Fundação Oswaldo Cruz. A saúde no Brasil em 2030. Rio de Janeiro: 2013;3:237-271. [citado em 2020 abr 26]. Disponível em: http://books.scielo.org/id/98kjw/pdf/noronha-9788581100173-08.pdf.

Alencar HHR. Educação permanente no âmbito do controle social no SUS: a experiência de Porto Alegre - RS. Saúde Soc. 2012;21 (l.1):223-233.

Shimizu HE, Moura LM. The social representations of social control in health: the advances and effect of institutionalized social participation. Saúde Soc. 2015;24(4):1180-92.

Oliveira BN, Wachs F. Educação física, atenção primária à saúde e organização do trabalho com apoio matricial. Rev Bras Ciênc Esporte. 2019;41(2):183-9.

Carvalho AC. Elaboração participativa de estratégias de facilitação para a realização de atividade física por usuários de uma unidade básica de saúde [dissertação de mestrado]. Rio de Janeiro: Estácio; 2019.

Shimizu HE, Pereira MF, Cardoso AJC, Bermudez XPCD. Social representations of municipal counselors regarding social control in health in the Brazilian Unified Health System (SUS). Ciênc Saúde Colet. 2013;18(8):2275-84.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

1.
Figueirêdo CAM, Silva BCR da, Albuquerque AE de MT, Brainer MG, Soares SET de OM, Lemos EC de. Social control: knowledge and attitude of professionals in the Academia da Cidade Program. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 31º de dezembro de 2020 [citado 28º de janeiro de 2022];25:1-7. Disponível em: https://www.rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14324

Edição

Seção

Artigos Originais