Educação física escolar: Guia de Atividade Física para a População Brasileira

Autores

  • Kelly Samara Silva Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7356-1680
  • Alexsandra da Silva Bandeira Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8922-1042
  • Fabricio Cesar de Paula Ravagnani Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul - Campus Campo Grande, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-2758-0549
  • Edina Maria de Camargo Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Departamento de Educação Física, Curitiba, Paraná, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2127-2606
  • Maria Cecília Tenório Universidade Federal Rural de Pernambuco, Departamento de Educação Física, Recife, Pernambuco, Brasil.
  • Victor José Machado de Oliveira Universidade Federal do Amazonas, Faculdade de Educação Física e Fisioterapia, Programa de Pós-Graduação em Educação, Manaus, Amazonas, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7389-9457
  • Priscila Cristina dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0166-1201
  • Virgílio Viana Ramires Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - Câmpus Camaquã, Camaquã, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4499-5471
  • Paula Fabricio Sandreschi Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção Primária à Saúde, Departamento de Promoção da Saúde, Coordenação-Geral de Promoção da Atividade Física e Ações Intersetoriais, Brasília, Distrito Federal, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6487-2359
  • Pedro Curi Hallal Universidade Federal de Pelotas, Departamento de Ginástica e Saúde, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1470-6461
  • Valter Cordeiro Barbosa Filho Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - Campus Aracati, Aracati, Ceará, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4769-4068

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.26e0219

Palavras-chave:

Educação física, Atividade motora, Estratégias, Escola, Estudantes

Resumo

As aulas de educação física (EF) escolar representam um momento propício para conhecer e vivenciar a pluralidade do movimento humano, favorecendo a promoção de uma vida ativa e saudável. A importância da EF escolar foi reconhecida pelo Guia de Atividade Física para a População Brasileira (Guia), que dedicou um capítulo para orientar a comunidade escolar sobre os benefícios à saúde e as estratégias de sucesso adotadas nas aulas de EF escolar. O objetivo deste estudo é apresentar o processo de elaboração das recomendações brasileiras de EF escolar para a população brasileira, mais especificamente os estudantes, professores, pais e responsáveis, e gestores. Esse capítulo do Guia foi desenvolvido por dez pesquisadores brasileiros, incluindo um representante do Ministério da Saúde. Três sínteses de evidências, escutas ao público-alvo e consulta pública foram realizadas para a construção das recomendações. Dados de 49 revisões sistemáticas sobre os benefícios da EF escolar à saúde e de 22 intervenções nas aulas de EF escolar com estudantes brasileiros foram sumarizados. Ainda, foram sintetizados 63 documentos nacionais e internacionais com estratégias recomendadas para a EF escolar, com foco nas dimensões: política e ambiente; currículo; instrução apropriada; avaliação; e estratégias que interagem com a EF escolar. Os grupos focais e a consulta pública fundamentaram a elaboração e o aprimoramento da versão final das recomendações. Espera-se que estas recomendações alicercem a criação de políticas públicas, melhorem a conscientização sobre a importância da prática de atividade física na EF escolar e enfatizem a necessidade de realizar estudos futuros nesta área de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelly Samara Silva, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Graduação em Educação Física pela Universidade Federal da Paraíba. Mestrado e Doutorado em Educação Física na área de Atividade Física Relacionada à Saúde pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente do Departamento de Educação Física da UFSC e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Física (NOTA 6) da UFSC. Líder do Núcleo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde (NuPAF / UFSC). Editora Associada da Revista de Saúde Pública e da Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Integra o Projeto de Internacionalização liderado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Física em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do CAPES-PRINT da UFSC. Tem pesquisado tópicos relacionados à atividade física e saúde pública, com ênfase em epidemiologia e programas de promoção da atividade física e redução do comportamento sedentário. 

Referências

Brasil. LEI No 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996 - Lei de diretrizes e bases da educação nacional [Internet]. 1996 [citado 2020 out 9]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm.

Brasil. Base Nacional Comum Curricular [Internet]. Ministério da Educação; 2018 [citado 2020 out 9]. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Tompsett C, Sanders R, Taylor C, Cobley S. Pedagogical approaches to and effects of fundamental movement skill interventions on health outcomes: a systematic review. Sports Med. 2017;47(9):1795–819.

Educating the Student Body: Taking Physical Activity and Physical Education to School. Washington, D.C.: National Academies Press; 2013 [citado 2020 jul 14]. Disponível em: http://www.nap.edu/catalog/18314.

Centers for Disease Control and Prevention (CDC). School Health Guidelines to Promote Healthy Eating and Physical Activity. 60(5).

Dudley D, Okely A, Pearson P, Cotton W. A systematic review of the effectiveness of physical education and school sport interventions targeting physical activity, movement skills and enjoyment of physical activity. Eur. Phys. Educ. Rev. 2011;17(3):353–78.

Bessa C, Hastie P, Araújo R, Mesquita I. What do we know about the development of personal and social skills within the sport education model: a systematic review. J Sports Sci Med. 2019;18(4):812–29.

Gomes GMG, Gomes FRH, Ribeiro PS. Self-concern, physical education and students from 6 to 10 years: a systematic review of the literature. Cad. Educ. Fis. Esp. 2019;17(2):1-10.

Braithwaite R, Spray CM, Warburton VE. Motivational climate interventions in physical education: A meta-analysis. Psychol Sport Exerc. 2011;12(6):628–38.

Trudeau F, Shephard RJ. Physical education, school physical activity, school sports and academic performance. Int J Behav Nutr Phys Act. 2008;5(1):10.

White RL, Babic MJ, Parker PD, Lubans DR, Astell-Burt T, Lonsdale C. Domain-specific physical activity and mental health: a meta-analysis. Am. J. Prev. Med. 2017;52(5):653–66.

SHAPE America-Society of Health and Physical Educators. The essential components of physical education. Author Reston, VA; 2015.

UNESCO. Diretrizes em educação física de qualidade (EFQ) para gestores de políticas - UNESCO Digital Library. 2015 [citado 2020 maio 18]. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000231963

Centers for Disease Control and Prevention. A CDC Review of School Laws and Policies Concerning Child and Adolescent Health. J. Sch. Health. 2008;78(2):69–128.

Spence JC, Faulkner G, Bradstreet CC, Duggan M, Tremblay MS. Active Canada 20/20: A physical activity plan for Canada. Can J Public Health.2015;106:470–73.

The Australian Council for Health, Physical Education and Recreation (ACHPER): Support of the Australian Curriculum: Health and Physical Education. 2017 [citado 2020 jul 13]. Disponível em: https://www.achper.org.au/documents/item/393.

The common Wealth. Model indicators on sport, physical education and physical activity and the Sustainable Development Goals. 2019 [citado 2020 jul 5]. Disponível em: https://thecommonwealth.org/sites/default/files/inline/Sport%20and%20SDG%20Indicators%20v3.1.pdf.

Centers for Disease Control and Prevention (CDC). School health guidelines to promote healthy eating and physical activity. MMWR Recomm Rep. 2011;60(RR-5):1–76.

Opstoel K, Chapelle L, Prins FJ, De Meester A, Haerens L, van Tartwijk J, et al. Personal and social development in physical education and sports: A review study. Eur. Phys. Educ. Rev. 2020;26(4):797-813.

Schüller I, Demetriou Y. Physical activity interventions promoting social competence at school: A systematic review. Educ. Res. Rev. 2018;25:39–55.

Rasberry CN, Lee SM, Robin L, Laris BA, Russell LA, Coyle KK, et al. The association between school-based physical activity, including physical education, and academic performance: a systematic review of the literature. Prev Med. 2011;52(Suppl 1):S10-20.

Vazou S, Pesce C, Lakes K, Smiley-Oyen A. More than one road leads to Rome: A narrative review and meta-analysis of physical activity intervention effects on cognition in youth. Int J Sport Exerc Psychol. 2019;17(2):153–78.

Barba-Martín RA, Bores-García D, Hortigüela-Alcalá D, González-Calvo G. The application of the teaching games for understanding in physical education. systematic review of the last six years. Int. J. Environ. Res. Public Health. 2020;17(9):3330.

Vella SA, Braithewaite RE, Gardner LA, Spray CM. A systematic review and meta-analysis of implicit theory research in sport, physical activity, and physical education. Int Rev Sport Exerc Psychol. 2016;9(1):191–214.

Brasil. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto no 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, e dá outras providências. Diário Oficial da União; 2007.

Brasil. Ministério da Educação, Gabinete do Ministro. Portaria Interministerial no 3.497, de 24 de novembro de 2003. Diário Oficial da União; 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Promoção da Saúde. Guia de Atividade Física para a População Brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção Primária à Saúde, Departamento de Promoção da Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2021.

Tricco AC, Lillie E, Zarin W, O’Brien KK, Colquhoun H, Levac D, et al. PRISMA Extension for Scoping Reviews (PRISMA-ScR): Checklist and Explanation. Ann Intern Med. 2018;169(7):467.

Barbosa Filho VC, da Silva KS, Mota J, Beck C, Lopes A da S. A physical activity intervention for Brazilian students from low human development index areas: A cluster-randomized controlled trial. J Phys Act Health. 2016;13(11):1174–82.

Biddle SJ, O’Connell S, Braithwaite RE. Sedentary behaviour interventions in young people: a meta-analysis. Br. J. Sports Med. 2011;45(11):937–42.

Publicado

2021-07-21

Como Citar

1.
Silva KS, Bandeira A da S, Ravagnani FC de P, Camargo EM de, Tenório MC, Oliveira VJM de, Santos PC dos, Ramires VV, Sandreschi PF, Hallal PC, Barbosa Filho VC. Educação física escolar: Guia de Atividade Física para a População Brasileira. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 21º de julho de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];26:1-18. Disponível em: https://www.rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14556

Edição

Seção

Artigos Originais