Sobrepeso e obesidade em universitários: prevalências e fatores associados

Autores

  • Gerleison Ribeiro Barros Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Uberaba, Minas Gerais, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5122-8625
  • Sueyla Ferreira da Silva dos Santos Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia de Parintins, Amazonas, Brasil.
  • Alynne Christian Ribeiro Andaki Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Uberaba, Minas Gerais, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6486-2326
  • Thiago Ferreira de Sousa Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Uberaba, Minas Gerais, Brasil. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Centro de Formação de Professores, Amargosa, Bahia, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9846-9661

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.26e0225

Palavras-chave:

Índice de massa corporal, Sobrepeso, Obesidade, Estudantes

Resumo

O objetivo deste estudo foi estimar entre homens e mulheres universitários de Minas Gerais, as prevalências de sobrepeso e obesidade e suas associações com atividade física e tempo sentado. Este estudo transversal estimou por meio das medidas referidas da massa corporal e estatura, o índice de massa corporal (IMC) e analisou o sobrepeso (IMC: 25,0 a 29,9 kg/m2) e a obesidade (IMC: ≥30,0 kg/m2). As variáveis independentes foram a atividade física e o tempo sentado, e as variáveis de controle foram sociodemográficas, de vínculo com a universidade e comportamentais, analisadas em três modelos. As associações foram estimadas via Odds Ratio (OR) por meio da Regressão Logística Multinomial. O nível de significância foi de 5%. Participaram 1.105 universitários, sendo 61,6% de mulheres. A média etária foi de 21,25 (desvio padrão = 4,1) anos para as mulheres e para os homens foi de 21,83 (desvio padrão = 4,2) anos. As prevalências de sobrepeso e obesidade foram, respectivamente, 27,5% e 6,9% em homens e 15,5% e 8,0% em mulheres. O tempo sentado associou-se à obesidade em homens, independente apenas das características sociodemográficas (OR = 3,54; IC95%: 1,04 – 12,12) e dos atributos sociodemográficos mais as características de vínculo com a universidade (OR = 3,48; IC95%: 1,01 – 11,99). Com o ajuste para os comportamentos alimentares não houve associação (OR = 3,49; IC95%: 0,99 – 12,23). Para as mulheres não foram observadas associações significativas. Conclui-se que a prevalência de sobrepeso foi elevada em homens. Os homens universitários com elevado tempo sentado apresentaram mais chances de serem obesos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. [acessado 2020 Jan 17]. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/censo-da-educacao-superior

Winpenny EM, Smith M, Penney T, Foubister C, Guagliano JM, Love R et al. Changes in physical activity, diet, and body weight across the education and employment transitions of early adulthood: A systematic review and meta-analysis. Obes Rev. 2020;21(4):e12962.

Sousa TF, Barbosa AR. Prevalence of body weight excess in undergraduate students: analysis of repeated surveys. Rev Bras Epidemiol. 2017;20(4):586-97.

Li J, Simon G, Castro MR, Kumar V, Steinbach MS, Caraballo PJ. Association of BMI, comorbidities and all-cause mortality by using a baseline mortality risk model. PLoS One. 2021;16(7):e0253696.

Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade, 2016. [acessado 2019 Jan 10]. Disponível em: http://www.abeso.org.br/diretrizes

Abdelaal M, le Roux CW, Docherty NG. Morbidity and mortality associated with obesity. Ann Transl Med. 2017;5(7):161.

Franco DC, Ferraz NL, Sousa TF. Sedentary behavior among university students: a systematic review. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2019;21:e56485.

Tremblay MS, Aubert S, Barnes JD, Saunders TJ, Carson V, Latimer-Cheung AE et al. Sedentary Behavior Research Network (SBRN) - Terminology Consensus Project process and outcome. Int J Behav Nutr Phys Act. 2017;14(1):75.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia de Atividade Física para a População Brasileira. 2021. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_atividade_fisica_populacao_brasileira.pdf> [Agosto de 2021].

Cleland V, Schmidt M, Salmon J, Dywer T, Venn A. Combined associations of sitting time and physical activity with obesity in young adults. J Phys Act Health. 2014 ;11(1):136-44.

Luiz RR, Magnanini MMF. A lógica da determinação do tamanho da amostra em investigações epidemiológicas. Cad Saúde Colet. 2000;8(2):9-28.

Sousa TF, Fonseca SA, José HPM, Nahas MV. Validade e reprodutibilidade do questionário Indicadores de Saúde e Qualidade de Vida de Acadêmicos (Isaq-A). Arq Ciênc Esporte. 2013;1(1):21-30.

Matsudo S, Araújo T, Matsudo V, Andrade D, Andrade E, Oliveira LC, et al. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2001;6(2):5-18.

World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic: report of a WHO Consultation on Obesity, Geneva, 3-5 June 1997. 1997; Available in: https://apps.who.int/iris/handle/10665/63854 [2019 November].

Sousa TF, Barbosa AR. Validation of self-reported measures of body mass and stature in college students. ABCS Health Sci. 2016;41(2):71-7.

Owen N, Sparling PB, Healy GN, Dunstan DW, Matthews CE. Sedentary behavior: emerging evidence for a new health risk. Mayo Clin Proc. 2010;85(12):1138-41.

Franco DC, Farias GS, Pelegrini A, Virtuoso Jr. JS, Sousa TF. Validade das medidas do tempo sentado do questionário IPAQ-versão curta em universitários brasileiros. Rev Bras Ativ Fís Saúde 2021, no prelo.

Hallal PC, Victora CG, Wells JC, Lima RC. Physical inactivity: prevalence and associated variables in Brazilian adults. Med Sci Sports Exerc. 2003;35(11):1894-900.

Morôco J. Análise de equações estruturais: fundamentos teóricos, software & aplicações. 2ª ed. Pêro Pinheiro: Cafilesa, 2014.

Yousif MM, Kaddam LA, Humeda HS. Correlation between physical activity, eating behavior and obesity among Sudanese medical students Sudan. BMC Nutr. 2019;5(6):2-8.

Sousa TF, José HPM, Barbosa AR. Condutas negativas à saúde em estudantes universitários brasileiros. Ciênc saúde coletiva. 2013;18(12):3563-75.

Sousa TF, Barbosa AR, Coelho F. Tempo de prática de atividade física no lazer como fator discriminatório da ausência de excesso de peso corporal. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2017;22(4):354-61.

Dawson DA. Defining risk drinking. Alcohol Res Health. 2011;34(2):144-56.

Alkazemi D. Gender differences in weight status, dietary habits, and health attitudes among college students in Kuwait: A cross-sectional study. Nutr Health. 2019;25(2):75-84.

Sousa TF, Santos SFS, Rodrigues AS, Papini CB, Silva DAS, Tribess S. Prevalence and factors associated with body image dissatisfaction among university students: repeated surveys analysis. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2019;21:e53036.

Nelson MC, Lust K, Story M, Ehlinger E. Alcohol use, eating patterns, and weight behaviors in a university population. Am J Health Behav. 2009;33(3):227-37.

Schlesinger S, Neuenschwander M, Schwedhelm C, Hoffmann G, Bechthold A, Boeing H, et al. Food groups and risk of overweight, obesity, and weight gain: a systematic review and dose-response meta-analysis of prospective studies. Adv Nutr. 2019;10(2):205-218.

Longo-Silva G, Silveira JAC, Menezes RCE, Marinho PM, Epifânio SBO, Brebal KMM, et al. Tendência temporal e fatores associados ao consumo de carnes gordurosas na população brasileira entre de 2007 a 2014. Ciênc saúde coletiva. 2019;24(3):1175-88.

Rangel Caballero LG, Sánchez LZR, Delgado EMG. Sobrepeso y obesidad en estudiantes universitarios colombianos y su asociación con la actividad física. Nutr Hosp. 2015;31(2):629-36.

Hallal PC, Dumith SC, Bastos JP, Reichert FF, Siqueira FV, Azevedo MR. Evolução da pesquisa epidemiológica em atividade física no Brasil: revisão sistemática. Rev. Saúde Pública. 2007;41(3):453-60.

Downloads

Publicado

2021-10-07

Como Citar

1.
Barros GR, Santos SF da S dos, Andaki ACR, Sousa TF de. Sobrepeso e obesidade em universitários: prevalências e fatores associados. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 7º de outubro de 2021 [citado 19º de janeiro de 2022];26:1-9. Disponível em: https://www.rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14616

Edição

Seção

Artigos Originais