Mudanças percebidas no estilo de vida no distanciamento social: validade preliminar do questionário

Autores

  • Sueyla Ferreira da Silva dos Santos Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia de Parintins, Parintins, Amazonas, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0575-4277
  • Thiago Ferreira de Sousa Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Centro de Formação de Professores, Amargosa, Bahia, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9846-9661
  • Silvio Aparecido Fonseca Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde, Curso de Licenciatura em Educação Física, Ilhéus, Bahia, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9903-6905
  • Ana Maria Alvarenga Universidade Estadual de Santa Cruz, Departamento de Ciências da Saúde, Curso de Licenciatura em Educação Física, Ilhéus, Bahia, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-2429-3763
  • Karine Moraes Pereira Faculdade Estácio, Curso de Educação Física, Teresina, Piauí, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1697-6342
  • Gildeene Silva Farias Faculdade Estácio, Teresina, Piauí, Brasil
  • Luiz Rodrigo Augustemak de Lima Universidade Federal de Alagoas, Instituto de Educação Física e Esportes, Maceió, Alagoas, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0280-0151
  • Fernanda Carneiro Mussi Universidade Federal da Bahia, Escola de Enfermagem, Bahia, Salvador, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0692-5912

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.26e0233

Palavras-chave:

Reprodutibilidade dos testes, Estilo de vida, Adultos, Pandemia

Resumo

Este estudo teve como objetivos: 1) apresentar o questionário “Percepção das Mudanças no Estilo de Vida Durante o Período de Distanciamento Social” (PERMEV), elaborado para a aplicação em adultos; 2) estimar a validade de face e conteúdo, e a reprodutibilidade. Foram elaboradas 40 questões agrupadas aos domínios: Alimentação, Atividade física, Comportamento sedentário, Sono, Controle do estresse, Relacionamentos, Comportamentos preventivos e Comportamentos durante o distanciamento social. Especialistas na área da saúde realizaram o julgamento da adequação e pertinência do conteúdo das questões. Posteriormente, o instrumento foi reestruturado e submetido à análise da validade de clareza por trabalhadores e estudantes de instituições de ensino superior. Em seguida, realizou-se a análise da reprodutibilidade com a aplicação do teste e reteste com intervalo de 15 a 30 dias e utilizou-se o coeficiente Kappa (K) para a concordância dos dados. O nível de significância estatística adotado foi de 5%. Participaram 75 especialistas para a etapa de validade de face e conteúdo, com valores médios de adequação de 89,3% e de pertinência de 89,7%. A validade de clareza foi de 90,2%. Participaram da reprodutibilidade 83 estudantes e servidores de instituições de ensino superior brasileiras e o nível de concordância variou de K de 0,182 a 0,584. Conclui-se que o questionário PERMEV apresentou validade de face e conteúdo e de clareza excelente (≥ 90%), bem como a validade de reprodutibilidade foi razoável para avaliar as mudanças no estilo de vida de adultos durante períodos de distanciamento social, a exemplo, a pandemia da COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Werneck GL, Carvalho MS. A pandemia de COVID-19 no Brasil: crônica de uma crise sanitária anunciada. Cad Saúde Pública.2020;36(5):e00068820.

Malta DC, Szwarcwald CL, Barros MBA, Gomes CS, Machado IE, Souza Júnior PRB, et al. The COVID-19 Pandemic and changes in adult Brazilian lifestyles: a cross-sectional study, 2020. Epidemiol Serv Saúde. 2020;29(4):e2020407.

Orellana JDY, Cunha GM, Marrero L, Moreira RI, Leite IC, Horta BL. Excesso de mortes durante a pandemia de COVID-19: subnotificação e desigualdades regionais no Brasil. Cad Saúde Pública. 2021; 37(1):e00259120.

Cavalcante JR, Cardoso-dos-Santos AC, Bremm JM, Lobo AP, Macário EM, Oliveira WK, et al. COVID-19 no Brasil: evolução da epidemia até a semana epidemiológica 20 de 2020. Epidemiol Serv Saúde. 2020;29(4):e2020376.

Pascarella G, Strumia A, Piliego C, Bruno F, Buono RD, Costa F, et al. COVID-19 diagnosis and management: a comprehensive review. J Intern Med. 2020;288(2):192-206.

Remuzzi A., Remuzzi G. COVID-19 and Italy: what next? The Lancet. 2020;395(10231):1225–28.

Lima EJF, Almeida AM, Kfouri RA. Vacinas para COVID-19: o estado da arte. Rev Bras Saude Mater Infant. 2021;21(Suppl1):S21-S27.

Lino DOC, Barreto R, Souza FD, Lima CJM, Junior Silva GB. Impact of lockdown on bed occupancy rate in a referral hospital during the COVID-19 pandemic in northeast Brazil. Braz J Infect Dis. 2020;24(5):466-69.

Silva L, Figueiredo Filho D, Fernandes A. The effect of lockdown on the COVID-19 epidemic in Brazil: evidence from an interrupted time series design. Cad Saúde Pública. 2020;36(10): e00213920.

Burtscher J, Burtscher M, MILLET GP. (Indoor) isolation, stress, and physical inactivity: vicious circles accelerated by COVID-19? Scand J Med Sci Sports. 2020; 30(8):1544–45.

Botero JP, Farah BQ, Correira MA, Lofrano-Prado MC, Cucato GG, Shumate G, et al. Impacto da permanência em casa e do isolamento social, em função da COVID-19, sobre o nível de atividade física e o comportamento sedentário em adultos brasileiros. Einstein (São Paulo). 2021;19: eAE6156.

Santos DL, Azambuja CR. Atividade física e comportamento sedentário em universitários durante a pandemia Covid-19. Rev Bras Atividade Fís Saúde. 2020;25:e0177.

Sousa TF, Santos SFS, Farias GS, Brandão AC, Chaves AO, Mussi FC, et al. Grupos de pesquisa brasileiros com ênfase na pandemia da Covid-19. Rev Interfaces Saúde Humanas e Tecnol.2020;8(3):621-29.

Santos SFSS, Sousa TF, Fonseca AS, Barros MVG, Farias GS, Nahas, MV. Validade Preliminar da Escala Perfil do Estilo de Vida Individual para uso online em tempos de distanciamento social. Rev Bras Atividade Fís Saúde. 2021;26:e0210.

Sá-Caputo DC, Sonza A, Bachur JA, Bernardo-Filho M. Development, validation and reliabilty of a questionnaire to evaluate the changes on the level of physical exercises and in daily life habits due to COVID-19 pandemic social distancing. Acta Biomed. 2020;91(3):e2020004.

Kumari A, Ranjan P, Vikram NK, Kaur D, Sahu A, Dwivedi SN, et al. A short questionnaire to assess changes in lifestyle-related behaviour during COVID 19 pandemic. Diabetes Metab Syndr. 2020;14(6):1697-701.

Chopra S, Ranjan P, Malhotra A, Sahu A, Dwivedi SN, Baitha U, et al. Development and validation of a questionnaire to evaluate the impact of COVID-19 on lifestyle-related behaviours: eating habits, activity and sleep behaviour. Public Health Nutr. 2020;24(6):1275-90.

Reichnheim ME, Moraes CL. Operacionalização de adaptação transcultural de instrumentos de aferição usados em epidemiologia. Rev Saúde Públ. 2007;41(4):665–73.

Nahas MV, Barros MVG, Francalacci V. O pentáculo do bem-estar - base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2000;5(2):48-59.

Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica/ICICT. Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz. ConVid - Pesquisa de Comportamentos. 2020; Disponível em: <https://www.convid.fiocruz.br/index.php?pag=questionario_adulto> [2020 agosto].

Nahas MV. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 7ª ed. Florianópolis: Ed. do Autor, 2017.

Both J, Borgatto AF, Nascimento JV, Sonoo CN, Lemos CAF, Nahas MV. Validação da escala “perfil do estilo de vida individual”. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2008;13(1):5-14.

Crestani AH, Moraes AB, Souza APR. Validação de conteúdo: clareza/pertinência, fidedignidade e consistência interna de sinais enunciativos de aquisição da linguagem. CoDAS. 2017;29(4):e20160180.

Landis JR, Koch GG. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics. 1977;33(1):159–74.

Lima LRA, Santos SFS, Sousa TF. Reflexões sobre a mudança no estilo de vida diante a pandemia da Covid-19. In: Araújo GG, Sousa FAB (eds). Atividade física, exercício e esporte no contexto da pandemia decorrente da COVID-19: reflexões, diagnósticos e prognósticos acerca da prática em diferentes contextos de saúde e desempenho humano. 1º ed. Maceió: Edufal, 2020. p. 36-47.

Sousa TF, Fonseca SA, José HPM, Nahas MV. Validade e reprodutibilidade do questionário Indicadores de Saúde e Qualidade de Vida de Acadêmicos (Isaq-A). Arq Ciênc Esporte. 2013;1(1):21-30.

Malta DC, Stopa SR, Santos MAS, Andrade SSCA, Oliveira TP, Cristo EB. Evolução de indicadores do tabagismo segundo inquéritos de telefone, 2006-2014. Cad Saúde Pública. 2017; 33 (Suppl 3):e00134915.

Aquino EML, Silveira IH, Pescarini JM, Aquino R, Souza-Filho JA, Rocha AS, et al. Medidas de distanciamento social no controle da pandemia de COVID-19: potenciais impactos e desafios no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2020;25(suppl 1): 2423-46.

Franco BDGM, Landgraf M, Pinto UM. Alimentos, Sars-CoV-2 e Covid-19: contato possível, transmissão improvável. Estudos Avançados. 2020;34(100):189-202.

Moura EC, Silva EN, Sanchez MN, Cavalcante FV, Oliveira LG, Oliveira A, et al. Timely availability of public data for health management: COVID-19 wave’s analysis. 2021. In: Scielo Preprint [online]; 2021 Mai 1-18; Rio de Janeiro. Disponível em: https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.2316.

Downloads

Publicado

2021-11-25

Como Citar

1.
Santos SF da S dos, Sousa TF de, Fonseca SA, Alvarenga AM, Pereira KM, Silva Farias G, Lima LRA de, Mussi FC. Mudanças percebidas no estilo de vida no distanciamento social: validade preliminar do questionário. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 25º de novembro de 2021 [citado 19º de janeiro de 2022];26:1-10. Disponível em: https://www.rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14670

Edição

Seção

Artigos Originais